quinta-feira, 16 de junho de 2011

"Ericeira, onde o mar é mais azul..."


Ericeira é uma antiga e pitoresca vila turística situada a 35 km a noroeste do centro de Lisboa, a 18 km de Sintra e a 8 km de Mafra. É uma freguesia do concelho de Mafra que tem o mar como fonte inspiradora.


Foto: Pessoal

Reza a lenda que o nome Ericeira significa, na origem, "terra de ouriços", devido aos numerosos ouriços do mar que abundavam nas suas praias. No entanto, investigações mais recentes apontam o ouriço-cacheiro e não o do mar como inspirador do nome. Com a descoberta de um exemplar do antigo brasão da Vila, hoje no Arquivo-Museu da Misericórdia, confirmou-se que o animal ali desenhado é, de facto, um ouriço-cacheiro. espécie que evoca a deusa fenícia Astarte. O que dá razão à tese anteriormente avançada por Manuel Gandra, segundo a qual a origem do povo da Ericeira remonta aos fenícios.

Foto: Pessoal

A história da Ericeira remonta, assim, a cerca de 1000 a.C.. O seu primeiro foral data de 1229, concedido pelo então Grão-Mestre da Ordem de Aviz, Dom Frei Fernão Rodrigues Monteiro, que assim instituiu o Concelho da Ericeira.
Deve-se ao porto da Ericeira o desenvolvimento da vila, noutros tempos habitada quase só por gente do mar, que formou durante muitos séculos um grupo étnico-geográfico denominado Jagoz, diferente dos restantes habitantes da região Saloia.

Foto: Pessoal

Esta vila conheceu no século XIX a sua época áurea, tendo sido o porto mais concorrido da Estremadura, com alfândega, por onde se fazia o abastecimento de quase toda a província, tornou-o num pólo fundamental da economia da região.
O embarque para o exílio da Família Real Portuguesa, episódio que assinala o fim da Monarquia em Portugal, fará sempre do porto da Ericeira um dos locais mais dramáticos da geografia do Concelho de Mafra.

Foto: pessoal


As praias e os pesqueiros, bem assim como o património monumental e o gastronómico, com base numa variedade de peixes e mariscos, constituem os seus maiores atractivos.


Foto: Pessoal
Praias
A beleza natural associada à forte concentração de iodo levou a que as praias da Ericeira passassem a ser frequentadas, desde o início do século XIX, por gente ilustre da época, como Bispo de Coimbra ou, mais tarde, a Rainha D. Maria Pia.
Em 1888 já se encontrava estabelecida na Ericeira uma colónia balnear de carácter sazonal, registando-se por essa altura a instalação de famílias aristocráticas de Lisboa, como as Burnay, Ulrich, ou Rivotti, que ocuparam, com as suas vivendas apalaçadas, a zona envolvente da praia do Sul. A localização próxima de Lisboa e o desenvolvimento da rede viária permitiram, a partir dos anos cinquenta, uma maior afluência de veraneantes, que tornaram a Ericeira e seus arredores numa das zonas de excelência no turismo balnear do nosso país.

 Foto: Pessoal

Actualmente a Ericeira tem sido considerada um dos melhores spots de surf de Portugal e da Europa, sendo normalmente um dos palcos escolhidos para o Campeonato de Mundo da modalidade. Esta localidade tem várias características que fazem dela um local ideal para o surf de elevada qualidade: mar com ondas e praias quer com fundos de rocha ("point-breaks"), quer com fundos de areia ("beach-breaks"). Por outro lado, dispõe de praias com diferentes níveis de dificuldade, oscilando entre os spots onde não são permitidos quaisquer erros e os spots onde se pode aprender com facilidade e praticar sem perigo.

Foto: Pessoal

A visitar
Forte de São Pedro da Ericeira
O Forte de São Pedro da Ericeira, também conhecido como Forte de Mil Regos, Forte de Milreu ou Forte da Ericeira, é o último remanescente dos poucos fortes erguidos à época da Restauração da Independência para defesa daquele trecho do litoral. Destinava-se a controlar o acesso marítimo à Ericeira pelo setor norte e, ao mesmo tempo, prevenir qualquer tentativa de desembarque na baía vizinha, formada pela praia de Ribeira de Ilhas. Actualmente conservam-se os seus espaços mais importantes: a bateria, formada por uma ampla esplanada voltada para o mare a casa-forte, pelo lado de terra, comporta por compartimentos abobadados.


Foto: Pessoal

Forte de Nossa Senhora da Natividade
Foi erguido em 1706 sob o reinado de Pedro II de Portugal, para defesa do porto de pesca e praia dos Pescadores. No século XX, após campanha de recuperação empreendida pela Junta de Turismo da Ericeira e pela Câmara Municipal de Mafra, o forte foi aberto ao público em 1976.

Foto: Pessoal

Igreja de São Pedro (Ericeira)
A igreja paroquial, outrora situada num ermo a Noroeste da vila (considerada ainda distante no séc. XVII), hoje está completamente enquadrada pela malha urbana que se desenvolveu a partir da segunda metade do séc. XVIII. A capela-mor exibe quatro telas retratando a vida de São Pedro e, ainda, o retábulo e o sacrário em talha e imagens barrocas de São João Evangelista e de São Pedro. Frente à igreja existe um cruzeiro que foi erigido em 1782. Na nave existem quatro altares laterais com as seguintes invocações: Nossa Senhora da Conceição, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora do Rosário e o Calvário.

Foto: Pessoal

Capela de São Sebastião (Ericeira)
Ermida cuja origem parece remontar ao século XV ou início de XVI, situada fora da vila, tem o interior totalmente forrado a azulejos. A pequena capela de São Sebastião, está junto à estrada que liga Sintra e a Ericeira. Contrastando com a simplicidade exterior e com a brandura da cal, o interior é de grande riqueza e colorido, formado por um revestimento quase completo de ajulejaria seiscentista policroma (azul e amarelo) criando padrões decorados com motivos vegetalistas e geométricos de grande efeito estético.

Foto: Pessoal


Capela de Nossa Senhora do Rosário da Misericórdia

Esta igreja, que inclui um museu, foi construída durante o século XVII, no local onde existia a Capela do Espírito Santo. Data de 1678 a fundação da igreja, por Francisco Lopes Franco, procurador dos condes da Ericeira. Merecem ser admiradas as pinturas do tecto e do coro.

Esta igreja possui ainda uma colecção de nove bandeiras que representam a Paixão de Cristo e que costumam ser exibidas na Procissão dos Fogaréus, que sai às ruas na Quinta-feira Santa.

O museu foi fundado em 1937 pela Santa Casa da Misericórdia da Ericeira e pelas Juntas de Freguesia e de Turismo da Ericeira. Dispõe de um grande património constituído por variados objectos e por livros antigos e recentes, muitos deles relativos à história da Ericeira e da região em que se insere.

Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem
A capela hoje mais conhecida como de "Santo António", situa-se numa plataforma sobre a Praia dos Pescadores na Vila da Ericeira, formando o epicentro da progressão urbana da vila. Diz-se ainda hoje que divide o Norte do Sul. Sobre a história da capela pouco se sabe, sobretudo anteriormente ao sec. XVII. Alguns registos apontam-na como coeva à Paroquial (sec XIV ou XV), não registando vestigios materiais dessa época.
Foi capela da Câmara, próximo do primeiro Paço do Concelho. Sabe-se que em 1609, já era sede das confrarias de Nossa Senhora da Boa Viagem dos Homens do Mar e nela decorriam as suas sessões. Em 1645, passou a ser a Capela de Nossa Senhora da Boa Viagem.

Foto: Pessoal

Onde Dormir
Hotel Vila Galé Ericeira
Beachtour Ericeira
Hotel Vilazul
Quinta dos Raposeiros –Turismo Rural
Residencial Vinnus
Ericeira Camping & Bungalows

Foto: Pessoal

Onde comer
A ericeira tem uma rica e longa tradição Gastronómica, sendo famosa principalmente pelos seus pratos de peixe e Marisco.

Recomendo pela excelente qualidade da comida, do serviço e localização:
■ Restaurante Esplanada Furnas
■ Restaurante Mar à Vista
■ Restaurante e Marisqueira Dom Carlos
■ Restaurante e Marisqueira César
■ Restaurante Bar Sabor A'mar
■ Restaurante Marisqueira de Ribamar

Festas e Romarias
• Festa de S. Sebastião (Domingo mais próximo de dia 20 de Janeiro)
• Festa de S. Vicente (22 de Janeiro)
• Procissão do Sr. Morto (Sexta-feita Santa)
• Festa de S. Pedro (Padroeiro), (28 de Junho)
• Feira de Santiago ou dos Alhos (25 de Julho), (actualmente só se realiza a feira dos alhos, a de Santiago foi extinta pela Junta de Freguesia)
• Festa da N. Sra. da Boa Viagem (3º Domingo de Agosto)
• Festa do Sagrado Coração De Jesus (Agosto)
• Festa da N. Sra. da Conceição (8 de Dezembro)
• Festa da N. Sra. da Nazaré (realiza-se de 17 em dezessete anos, a próxima será em 2016)

Foto: Pessoal


A Ericeira é uma simpática vila, procurada pelas suas características climáticas e alto teor de iodo das suas águas, pelo seu património monumental e gastronómico, que aliados à simpatia das suas gentes e a uma paisagem deslumbrante, cativam quem a visita.

Vá visitar, Vale a pena!

Fontes: Wikipedia; http://www.ericeira.org/;
Fotos: Pessoais



Sempre que viajamos seja física ou virtualmente (através por exemplo da leitura), alargamos os nossos horizontes, pois vamos conhecer novos locais, novos costumes, novas realidades e gentes. Aumentamos o nosso conhecimento e enriquecemos interiormente.

4 comentários:

  1. Que lugares lindos, amiga!
    Depois de te encontrar, me apaixonei por Portugal.
    Beijos meus!

    ResponderEliminar
  2. Um lugar de encanto. Adoro a Ericeira. E soube tão bem, recordar. Um bom fds para você, carregado de carinho. Beijinhos ;)

    ResponderEliminar
  3. Pudemos visitar muitos locais agradáveis, mas o cheiro de mar , na Ericeira, é inesquecível.

    ResponderEliminar
  4. Pudemos visitar muitos locais agradáveis, mas o cheiro de mar , na Ericeira, é inesquecível.

    ResponderEliminar

“Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós” (Antoine de Saint-Exupery).

Obrigado pela sua visita e pelo carinho que demonstrou, ao dispensar um pouco do seu tempo, deixando aqui no meu humilde cantinho, um pouco de si através da sua mensagem.